Carnauba Viva

CARNAÚBA VIVA GANHA PRÊMIO MANDACARU II

14 abril 2016

CARNAÚBA VIVA GANHA PRÊMIO MANDACARU II

Prêmio Mandacaru II – Projetos e Práticas Inovadoras em Acesso à Água e Premiação (189)Convivência com o Semiárido

O Prêmio Mandacaru II é uma das ações do Programa Cisternas BRA-007-B, executado pelo IABS, por meio do convênio firmado junto ao Fundo de Cooperação para Água e Saneamento – FCAS com aporte financeiro da AECID e apoio do MDS.

O Prêmio Mandacaru II é voltado para Associações e entidades de agricultores e agricultoras, instituições de pesquisa, organizações não governamentais e entidades governamentais que desenvolvem ações em prol da convivência solidária e sustentável no Semiárido brasileiro.

Em seus objetivos gerais, visa contribuir para a transformação social, promovendo a preservação, o acesso, a gestão e a valorização da água como um direito essencial à vida e à cidadania, ampliando a compreensão e a prática da convivência sustentável e solidária com o Semiárido brasileiro.

O Prêmio tem como tema “Água, Participação e Soberania Alimentar”, considerados os principais pilares para a busca da convivência harmônica e solidária com o Semiárido e, está dividido

here

em quatro categorias: Experimentação no Campo, Práticas Inovadoras, Pesquisa Aplicada e Gestão Inovadora.

Os vencedores vão receber como premiação apoio financeiro, além de diploma honorífico. Os prêmios variam de R$ 60 mil a R$ 150 mil, dependendo da categoria e classificação de cada

A Carnaúba Viva concorreu ao Prêmio Mandacaru II com o “Projeto Caatinga Viva” na categoria “Práticas Inovadoras”.

O Projeto Caatinga Viva é patrocinado pelo Programa Petrobras Ambiental e tem como proponente a Carnaúba Viva e conta com cinco parceiros para sua realização: Embrapa Solos; IFRN; CAERN; ANEA e UERN e apoio dos municípios atendidos pelo projeto.

Tem área de abrangência de 9 municípios do Vale do Açu no Estado do Rio Grande do Norte: Assú, Carnaubais, Ipanguaçu, Itaja, Pendências, Alto do Rodrigues, Afonso Bezerra, Porto do Mangue e Macau.

O projeto tem quatro linhas prioritárias: Produção de Briquetes, Reuso de Águas Servidas, Educação Socioambiental e Reposição Vegetal de Áreas Degradadas.

O projeto diminuição do desmatamento das florestas, colaborando com a conservação da biodiversidade do Bioma Caatinga local.

O Projeto Implantará uma Biofabrica de briquetes (lenha ecológica), para substituir o uso da lenha nativa, ajudando a mitigar o desmatamento do Bioma Caatinga e a consequente perda da biodiversidade da região.

Uma das grandes Inovações é a Gestão participativa, que conta com o envolvimento de Comunidades Tradicionais, como os Carnaubeiros (extrativistas da cadeia produtiva da carnaúba) do Vale do Açu, Quilombolas da Comunidade de Picada no Assentamento Pedro Ezequiel de Araújo no município de Ipanguaçu e Assentados de Reforma Agrária dos municípios atendidos, o projeto visa a geração de renda de forma sustentável em convivência com a Semiarido.

No município de Pendências o projeto possibilitou o reuso das águas tratadas de todo o esgoto produzido por meio de acompanhamento e a analise da emissão de águas da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto para reuso na produção de biomassa (capim elefante).

O projeto capacitou 615 professores da Rede Pública do Ensino Fundamental para inclusão nas escolas de forma transversal de Educação Socioambiental; capacitou 35 técnicos em Disseminadores de Educação Ambiental e ministrou curso de Educação Socioambiental para quase 100% dos alunos do Ensino Fundamental das Escolas Públicas dos nove municípios atendidos pelo projeto, mais de 10.000 alunos, o projeto sensibilizou 350 pessoas de Comunidades Tradicionais atendidas pelo projeto.

O projeto está recuperando 100 hectares de áreas degradadas, prioritariamente nas matas ciliares do Rio Açu, nas áreas de APPs (Áreas de Proteção Permanente) e Reservas Legais dos projetos de Assentamento Rurais, reduzindo o assoreamento do rio, potencializando o seqüestro de carbono e a diminuição dos efeitos do aquecimento global.

Links sobre o Prêmio Mandacaru

http://iabs.org.br/

http://www.iabs.org.br/projetos/premiomandacaru2/

Educação Socioambiental

Os Cursos de Educação Socioambientais do “Projeto Caatinga Viva” que atendeu Comunidades de Carnaubeiros, Assentados, Agricultores Familiares e Artesãos, estão sendo concluídos restando apenas um grupo, conforme quadro abaixo.

GRUPOS DE ARTESÃS, CARNAUBEIROS E AGRICULTORES

GRUPOS

TIPO

MUNICÍPIO

QUANT.

Associação de Artesãs Artesãs Itajá

23

PA Pedro Ezequiel de Araújo Associação Picada Carnaubeiros, Artesãos, Assentados Ipanguaçu

30

PA Pedro Ezequiel de Araújo Associação Itú e Porto Assentados e carnaubeiros Ipanguaçu

29

Luzeiro Agricultores Familiares Ipanguaçu

35

Associação Baviera Agricultores Familiares Assú

34

PA Palheiros II Assentados Assú

29

PA Rosa Luxemburgo Assentados e carnaubeiros Carnaubais

34

PA Sebastião Andrade Assentados Macau

41

PA Marcos Freire – Porto Carão Assentados, Pescadores Pendencias

30

Sítio Cumbe Carnaubeiros, Artesãos Assú

25

Nova Esperança Agricultores Familiares e filhos Assú

44

TOTAL

354

Meta do Projeto – 390 pessoas

Faltam – 36 pessoas

[slideshow id=1]



Produtos em Destaque

Projetos

Melhor Parati

Projeto Melhor Parati

carnauba viva ong mr

Projeto Carnaúba Viva

logomarca Caatinga Viva P

Projeto Caatinga Viva